Consultoria, Treinamento ou Educação Corporativa?

Diante de um cenário com tantas opções de fornecedores (agências de publicidade, agências digitais, consultores de gestão, consultores de tecnologia) muitas vezes uma empresa acaba por querer tudo e não obter nada, ou opta por retrair-se e perde uma oportunidade séria de crescimento e evolução – Alexandre Ferrão

Durante muito tempo atuei de forma profissional no mercado contábil, desde escritório contábil, passando por indústria de alimentos até empresa de tecnologia, pude acompanhar processos complexos de auditoria e consultoria, implantação de sistemas de gestão, participar do desenvolvimento de softwares de gestão empresarial e gestão contábil, dentre outras questões gerenciais e de organização.

Por questão de oportunidade e vontade de empreender busquei a graduação em Marketing e o MBA em Administração e Marketing, esta escolha complementou minha visão e experiência com números, balanços, balancetes e análises de custos, com uma perspectiva de análises de mercado, de comportamento, estratégica, visão de crescimento e principalmente planejamento que considero a palavra chave para uma empresa.

Ocorre em nosso país um lobby onde o profissional tem que ter pós graduação, mestrado, doutorado, MBA, especializações e certificações, ótimo, nada contra, mas ao mesmo tempo a capacidade de resolver problemas parece ter atingido o seu nível mais baixo, um contra senso não? Isto me leva a recordar uma frase: “Brasil: muitos intelectuais e pouco intelecto”….lamento por não lembrar o autor.

A origem da incapacidade de resolver problemas

O objetivo não é questionar se estudar vale a pena ou não, mas buscar uma solução entre o abismo existente entre a formação acadêmica e as necessidades competitivas que o mercado exige. As instituições de ensino produzem profissionais em escala como se fossem produtos para consumo, mas que não conseguem uma visão além do que foi ensinado.

Desde os primeiros anos escolares – salvo em raras instituições – somos adestrados a repetir fórmulas, não há construir pensamentos, fruto de uma falha gigantesca do nosso sistema de educação e ensino. O reflexo disto impacta diretamente na gestão das empresas que em determinado momento buscam soluções para corrigir problemas que surgem em aspectos estratégicos, táticos e operacionais. Invariavelmente a busca por soluções ocorre através da contratação de Consultorias, Treinamentos ou de forma mais recente através da Educação Corporativa, solução na qual me especializei e considero a ideal.

Consultoria: o que ela deve entregar?

Vamos falar antes do caso de David Portes?

O David Portes, é também conhecido como David Camelô, que de dono de uma banca virou palestrante. E suas palestras são para empresários e estudantes de nível de superior. O que ele apresenta? Visão de mercado, iniciativa, vontade, capacidade de superação, simplicidade, itens na maioria das vezes inibidos pela formação do profissional que acaba achando que tudo sabe, que os diplomas tudo resolvem, mas como sempre digo nos meus artigos: o que gere uma carreira ou um serviço é o mercado, não é a pretensão, desejo e formação, mas sim a lei de mercado. Se tem bom resultado, prático e objetivo, tem mercado, caso contrário não!

O David Camelô hoje é um case de sucesso, é palestrante, empresário, consultor. Simplesmente porque tem resultados.

No caso de uma empresa de Consultoria ou de um Consultor, geralmente a entrega será na forma de apontamentos de falhas ou situações que podem ser melhoradas em uma empresa, mas não irá executar estas tarefas, e nos casos em que existe o acompanhamento da implantação das soluções ocorre o sério risco que o mesmos problemas voltem a ocorrer até mesmo em futuro não muito distante, pois se mudam as operações, mas se constrói  uma cultura de sucesso para perpetuar uma solução com projeção de futuro desta forma parece que a consultoria não obteve êxito diante do seu objetivo.

“Esta é uma observação simples, mas que tem ocorrido de fato, e o resultado são consultorias que deixam a impressão que nada resolveram, mas sendo que apenas faltou um trabalho com a análise de um horizonte mais amplo.”

Treinamento Tradicional é a solução?

Existe uma grande variedade de treinamentos para todos os objetivos, mas para fins de exemplo irei abordar o clássico treinamento motivacional. Antes de sair criando tabelas com metas, premiações e motivações, é necessário conhecer as pessoas envolvidas no processo, pois um trabalho desses onde envolve motivar pessoas não é milagroso, a empresa que deseja este trabalho tem que oferecer aos colaboradores uma estrutura com condições físicas, tecnológicas e humanas para que o resultado do treinamento se perpetue, e a tal motivação não se perca em um mês ou dois. Investir na capacitação – não apenas a motivacional – de uma equipe é essencial, sendo um dos pontos que mais deixa o colaborador motivado, mas é preciso pensar no antes, durante e depois:

  1. Antes do Treinamento: qual problema o treinamento precisa resolver?
  2. Durante o Treinamento: qual será o material de apoio e a informação estratégica a ser transmitida?
  3. Pós Treinamento: como o conhecimento está sendo colocado em prática?

Estas etapas válidas para qualquer tipo de treinamento, devem prever a aplicação prática das informações e ter o firme propósito de ajudar a desenvolver a vantagem competitiva da empresa.

A Educação Corporativa como oportunidade de crescimento

Transmitir conhecimentos essenciais, oferecer subsídios para aplicação imediata, medir os resultados e apresentar uma trilha para a autoaprendizagem, para que equipe e empresa possam obter desenvolvimento constante, este é o objetivo da Educação Corporativa.

A Educação Corporativa está intimamente ligada ao planejamento pois impacta positivamente na esfera estratégica, tática e operacional, podendo ser a grande responsável pelo desenvolvimento do diferencial e da vantagem competitiva que toda empresa busca.

Diferente de uma Consultoria ou de um Treinamento Tradicional, a Educação Corporativa permite uma mudança cultural e um acréscimo significativo de inteligência ao negócio.

O investimento em Educação Corporativa é menor quando comparado a uma Consultoria, sendo desta forma mais acessível também para empresas de pequeno e médio porte.

Em relação ao Treinamento Tradicional os benefícios da Educação Corporativa são ainda maiores devido ao alcance e a capacidade de aderência ao objetivo estratégico do negócio.

Concluindo, invista em um projeto de educação corporativa, pode ser uma palestra, um treinamento, um workshop ou um projeto de maior impacto, desde que seja ele siga os princípios da educação corporativa e transmita informações estratégicas para que sua empresa desenvolva um diferencial competitivo.

Você está próximo da solução que procura!

contato@alexandreferrao.com.br ou consultoralexandreferrao@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>